quinta-feira, outubro 27, 2005

Após algumas conversas em tom de debate com colegas meus, senti que era necessário dar uma pequena explicação mais científica sobre o que é a Contracepção de Emergência, mais conhecida como Pílula do dia seguinte.

Portanto segundo as MulheresOnline:

A pílula de emergência, conhecida como a «pílula do dia seguinte», pode evitar uma gravidez não desejada, quando, por razões diversas, não foram usados outros métodos contraceptivos.

De acordo com estudos recentemente efectuados, em média, apenas 2% das mulheres que usaram esta pílula após uma relação sexual desprotegida ficam grávidas. As hipóteses de gravidez seriam 4 vezes maiores se a pílula de emergência não fosse usada e a sua eficácia é tanto maior quanto mais cedo for tomada.

Esta não é, porém, uma pílula abortiva, pois se a mulher estiver grávida a pílula torna-se completamente ineficaz, não produzindo quaisquer efeitos nocivos sobre o feto.

A pílula apenas pode impedir ou atrasar a ovulação (saída do óvulo do ovário da mulher), impedir a fertilização (encontro do óvulo com o espermatozóide) ou impedir a implantação de um ovo na parede do útero.

Não se conhecem contra-indicações ao uso da pílula de emergência, que pode entretanto, como efeitos secundários, provocar náuseas e vómitos e, por vezes, dores de cabeça, tonturas, tensão mamária, hemorragia vaginal.

A pílula de emergência é comercializada em Portugal desde 1999, podendo ser adquirida nas farmácias sem receita médica.

Falta dizer que não é necessário receita médica, basta pedir da marca certa, como Norlevo, por exemplo. Se o farmacêutivo recusar vender-te por qualquer razão (por seres menor, porque ele pensa que tem receita médica) não tenhas medo e dirige-te a outra farmácia onde estejam devidamente informados. Também poderás contactar com alguém da APF da tua região para falarem com o director da farmácia depois.

Continuem a visitar o blog! E se quiserem participar, não hesitem em mandar email.

1 Comments:

Anonymous Gurui said...

Dois esclarecimentos:

1- A contracepção de emergência hormonal, ou seja em forma de pílula "do dia seguinte" (atenção, que a colocação de um DIU até 5 dias após a relação sexual também é contracepção de emergência)apenas pode impedir ou atrasar a ovulação (saída do óvulo do ovário da mulher). Não está completamente comprovado de que impede a fertilização ou a nidação. Pensa-se que poderá actuar a estes níveis, mas ainda sem comprovação científica. Daí ser recomendado que seja tomada o mais rapidamente possível.

2- Falar só na Norlevo é um erro, pois existe também a Levonelle. Isto é importante, pois falando numa só marca (mesmo que seja apenas a título exemplificativo) corre-se o risco das pessoas pedirem apenas a Norlevo quando forem à farmácia e se esta só tiver a Levonelle, as pessoas saiem de mãos a abanar. A Levonelle é igualmente eficaz, segura e também não necessita de receita médica.

10:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home