quarta-feira, fevereiro 08, 2006

A Associação Juntos pela Vida nunca se engana e raramente tem dúvidas
A Associação Juntos pela Vida (representantes da bondade, das boas intenções, boas práticas, e bom comportamento na Terra) veio alertar a população portuguesa para um erro da Associação Nacional de Farmácias (ANF). Não, não tem nada haver com o carácter monopolista da ANF. Credo, se fosse esse o alerta, a Associação Juntos pela Vida poderia ser conotada com posições comu... comu... nistas (cruz credo... ainda os acusavam de deitar fogo às matas). Afinal, de contas são pessoas de bem que nos querem bem.

Bem, voltando à “vaca fria” ou outra expressão semelhante... ou melhor, por falar nisso, sabiam que a Associação Juntos pela Vida alertou, através de dois comunicados, para o facto da ANF estar a distribuir “massivamente um folheto cor-de-rosa chamado pílula do dia seguinte e onde diz...” a contracepção de emergência (CE) “não é abortiva” e “não provoca aborto”.
A Associação Juntos pela Vida vem relembrar que de acordo com a informação cientifica, a pílula do dia seguinte pode actuar como abortiva, quer seja tomada depois da ovulação ou tomada antes da ovulação (eu que pensava que era antes ou depois da refeição) e dão como referência cientifica o “The Annals of Pharmacotherapy Vol.36, 465-470”. Já agora, e por falar nisso, sabem que este Verão será muito húmido nos Açores (Fonte: Almanaque “O Camponês” - Edição açoriana do Almanaque “Borda d'Água). Ah... para os mais distraídos ou que não conseguiram, até agora, seguir este discurso esquizofrénico e algo “gato fedorento” também existem inúmeras evidências cientificas que provam a informação dada pela ANF nos famosos panfletos cor-de-rosa (Emergency Contraception: An update, V. Cullins. The Contraception Report. Vol.14, nº1, June 2003 ; Emergency Contraceptive pills: safe and effective but not widely used. Outlook, vol.14, nº2 (1996).
A Associação Juntos pela Vida “recorda no seu comunicado que no processo de legalização da pílula do dia seguinte foi usada uma estratégia (terá sido um 4-4-2 ou um 4-3-3 com dois avançados fixos) de reengenharia de linguagem (será que dava para construir um túnel e uma ponte que ligasse S. Bento ao Vaticano), que consistia no seguinte:” dizer a VERDADE.
É de louvar, a clareza da linguagem utilizada no comunicado. Penso que ninguém faria melhor: quatro premissas verdadeiras e claras. Terá sido graças à estratégia? Á reengenharia? Ou a ambas?
No quinto ponto do comunicado afirmam que a pílula do dia seguinte, se não consegue impedir a ovulação, impede que um novo Ser humano sobreviva e que, por isso, estamos perante um acto criminoso. Mas, desde quando é que possuem esta certeza tão definitiva e tão comprovada? Ou será que estão a confundir CE e a designada pílula abortiva (RU-486)?
O sétimo ponto parece a conclusão de um qualquer estudo, em que acabam de confirmar a existência de uma associação entre a CE e a frequência de relações sexuais entre adolescentes. Mas... surpresa... não consigo... estarei cego? Onde está ??? Onde posso encontrar as referências cientificas deste estudo... ah... trata-se de um “Espírito Santo de orelha” (expressão utilizada por um antigo explicador de matemática que tive entre o 7º e 9º ano).
Num segundo comunicado
, a Associação Juntos pela Vida faz um apelo (não sei, se será divino ou cientifico): retirar de circulação o folheto enganador e falso da ANF e dissuadir as pessoas do uso da pílula do dia seguinte, pois esta pode constituir perigo para a saúde das mulheres (segundo, a Associação Juntos pela Vida, o aborto, interrupção voluntária da gravidez ou outra qualquer expressão rebuscada quando feito em condições deficientes deve ser inteiramento seguro para a mulher). Pois, até a Food and Drugs Administration (FDA) proibiu a venda livre de CE nos Estados Unidos. Em jeito de desespero, a Associação Juntos pela Vida afirma “se a pílula é perigosa para as mulheres americanas também o é para as portuguesas”. Por falar nisso, a Associação Juntos pela Vida não explica como foi tomada a decisão por parte da FDA. Não há problema, eu conto a estória:

-Era uma vez, um Dr. Chamado Steven Galson que era e é director do Centro para a Avaliação e Pesquisa de medicamentos da FDA.
-Certo dia, o Dr. Galson não deu ouvidos à equipa de conselheiros cientificos da própria FDA, os quais recomendavam a facilitação do acesso a CE sem prescrição médica.
-Oh... mas porque é que o Dr. Galson não ligou nenhuma aos conselheiros cientificos?
-Oh.. filho(a)... ninguém tem a certeza, mas a única explicação dada pelo Dr. Galson é que a sua decisão se deveu à falta de pesquisas sobre o efeito da CE em meninas que tivessem entre 11 e 14 anos sem acompanhamento médico.
-Mas... então e se vendessem sem receita médica a CE somente a maiores de 16 anos?
-Pois, o laboratório responsável pela distribuição de CE propôs isso mesmo. Mas, mesmo assim, o Dr. Galson manteve a sua decisão.
-Mas... isso é estranho, não é?
-Não, não é. Temos que pensar que não é estranho. Embora, várias associações feministas e até o American College of Obstetricians and Gynecologists terem considerado esta decisão “moralmente repugnante”. Aliás, em Dezembro de 2003, o painel cientifico da FDA votou (23-4) a favor da venda livre de CE.
-Oba... oba... é uma votação bem melhor que a do Cavaco.
-Pois é... mas não falemos disso... são assuntos para outros BLOGS.
-Parece que a FDA preferiu ouvir o “Espirito Santo de orelha” dos lobbies conservadores e de grupos religiosos que alertavam para a existência de uma associação entre a facilidade de acesso à CE e a promiscuidade entre adolescentes. Até parece, que enviaram uma carta ao Bush.
Não... não viveram juntos e felizes para sempre... mas acabou o conto.

Imitando a Associação Juntos pela Vida, mas só na iniciativa de lançar um apelo, e não pelo conteúdo. Aproveito a oportunidade para lançar também um apelo à Associação Juntos pela Vida:

-retire de circulação o seu folheto.
-produza um folheto cientifico e sem qualquer influencia ideológica e/ou moralista.

Todos(as) os(as) farmacêuticos(as) que:

-ignorem os folhetos da Associação Juntos pela Vida.
-pressionem a Associação Juntos pela Vida a produzir folhetos mais produtivos (por exemplo: sobre os designados métodos naturais: calendário, muco cervical, temperaturas, etc...)
-boicotem a venda do almanaque “O Camponês” e o “Borda d'Água” nas farmácias como fonte cientifica ou do último catecismo de uma qualquer religião como guia de aconselhamento ao utente.

A todas as pessoas que:

-deixem de comprar “terra de cemitério” ao Mestre Bambo e que passem a acreditar no seu médico de família, no farmacêutico mais próximo ou até no psicólogo (não, o padre é para missas e confissões, o psicólogo é para terapia... terapia... sabem algo que até é cientifico).

PS: Se quiserem assinar a petição “Mais vida. Mais família é preferível que tenham, pelo menos, oito nomes próprios e que tenham uma alcunha, do género: Tété, Bábá ou Tita, etc..

3 Comments:

Blogger Pedro Nunes said...

É excelente o vosso blogue. Só um pequeno reparo. Quando linkam não era preferível colocar a parte que é da vossa responsabilidade fora do link? É que fica mais difícil de ler, só por isso. De resto, continuação de bom trabalho.

4:45 da tarde  
Blogger Mário de Sá Peliteiro said...

Cá estão entregues as Vossas recomendações...

5:04 da tarde  
Blogger cris said...

eh pá, cada vez gosto mais de vocês. atentos, informados, combativos.
pronto, pode parecer disparatado, mas queria mm dizer-vos isto.
:)

Qt à Associação mencionada, candidatam-se seriamente a 1 prémio de irresponsabilidade, arrogância e hipocrisia colectiva. Lamentável.

10:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home